Open Conference Systems, IX Congresso Nacional de Administração e Contabilidade - AdCont 2018

Tamanho da fonte: 
Entre Assédios, Violências, Desigualdades e Gravidez: Uma Análise Crítica Do Discurso Sobre O Que É Ser TrabalhadorA.
Renan Gomes de Moura, Rejane Prevot Nascimento

Última alteração: 2018-10-08

Resumo


Assédios, violências, desigualdades e gravidez, temas que parecem ser tabus para as organizações, mas que se tornaram parte do cotidiano do trabalho de muitas mulheres. Temas que convergem ou faces da precarização do trabalho feminino? Nesse sentido Guimarães (2012, p.120) aponta que as mulheres, em particular são a maioria “em trabalhos menos produtivos e precários, com pouco acesso a uma remuneração adequada e justa, à proteção social e a direitos fundamentais no trabalho, ou seja, possuem menores chances de ascender a um Trabalho Decente”. O objetivo do presente trabalho consistiu em discutir e analisar a precarização do trabalho feminino a partir da opinião pública de mulheres no Twitter. O corpus da pesquisa foi composto pela seleção dos discursos de 34 trabalhadoras e o método de análise consistiu na Análise Crítica do Discurso. Concluiu-se que desde sua inserção no mundo do trabalho as mulheres têm enfrentado o trabalho precarizado que se manifesta de diferentes formas como por exemplo assédio sexual, violência e punições oriundas por conta da gravidez.

Texto completo: PDF